domingo, 27 de junho de 2010

No trem

"O dia tinha sido igual aos outros e talvez daí viesse o acúmulo de vida. Acordara cheia da luz do dia, invadida."
Clarice Lispector

Algumas semanas atrás eu trabalhei em uma ação na Feira do Livro de Canoas. Sob o tema “Histórias chegam, ficam e partem daqui”, a Feira prestava uma homenagem aos 25 anos do Trensurb. (ha-ha eu também completo um quarto de século esse ano!! My God!) Isso exigiu que eu acordasse cedo e pegasse o trem até a estação Canoas/La Salle. O som hipnótico do trem sobre os trilhos, num instante grita aos ouvidos, no outro é uma constante que pulsa - vibração. Numa curva, um assobio místico. Eu recordei do tempo que usava o metrô em NYC pra ir pra aula... saudades. Mas nessas viagens daqui, tive a vantagem de contar com os raios de sol que entravam pela janela, desenhando linhas de luz no vagão.

Num desses dias, não tive como não ler no celular de uma senhora: "Tb te amo. Queria estar do seu lado agora". Tecla "send". Simples assim. É, esse trem leva e traz histórias, se fosse cenário de filme, imagino várias cenas com close nos passageiros, em suas mãos, num brinco, num livro, naquele olhar cansado, num pacote selado, na estampa de um vestido... sutilezas que as vezes a gente nem percebe, mas complementam um dia, agregando a ele expressão e cor.

Sim, toda a rotina tem sua beleza, mesmo que seja um pouco triste. Mesmo estando longe, querendo estar perto. Mesmo que seja um pouco dura, o importante é que seja verdadeira. Porque embora uma parte de nós seja o que acreditamos, outra parte é o que fazemos para conquistar aquilo que buscamos.

Convido vocês a envolver cada dia, porque ele é repleto de possibilidades! (Qualquer hora pode trazer em seus minutos, uma surpresa!)

4 comentários:

Viskovitz disse...

se tem trem, está tudo bem. mas dependendo de onde tu senta, não sabe se vai ou vem. =) Bjks!!

a_girl_feeling disse...

Grande Relsi!! Vc tb é poesia. Obrigada pela visita!! :) bjssss

gulaginha disse...

Gostei muito de ler esse post!!!
Morei muito tempo em Canoas, na verdade minha mãe ainda mora. O trem sempre me deixa nostálgica. A trensurb dá margem a poesia, sempre fico observando as pessoas e imaginando um tantinho das suas histórias, assim como recordo as minhas...
Abraços.

Flor de Bela Alma disse...

Blog lindo como sempre. vamos fazer um vestido com poesia. Me lembrei de ti, porque mandei um por sedex aí. Beijos e me mande por e-mail qual gosta que mando as estampas: biandias@hotmail.com